quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Judaísmo Messiânico é Oficialmente Reconhecido por Israel

Saiu na Charisma Magazine:



Duas propostas de lei tramitavam no Knesset para tornar a prática do Judaísmo Messiânico ilegal em Israel. Ambas não passaram e os responsáveis por isso, em grande parte, foram os membros de uma coalizão chamada Comitê de Ação Messiânica (Messianic Action Committee – MAC), que liderou a luta contra estes dois projetos de lei. Agora, o Judaísmo Messiânico é considerado tão legítimo pelo governo de Israel quanto qualquer outra forma de Judaísmo: ortodoxo, conservador, reformista ou reconstrucionista. Qual o significado disso na dispensação profética atual?



judeus messiânicos"Como as sinagogas messiânicas respeitam nossas raízes judaicas e honram nossa pátria, Israel, estamos desfrutando do favor da comunidade."– explica o rabino messiânico Baruque Rubin. "Estes são tempos maravilhosos! Israel está se abrindo ao Judaísmo Messiânico e alguns estão até se juntando a nós. Livros estão sendo escritos, descrevendo o Judaísmo Messiânico como ele realmente é. Cada vez menos somos vistos como `missionários enganadores' enviados para destruir Israel, como éramos vistos no passado."



Finalmente boas notícias vindas de Israel. Ao mesmo tempo em que o cenário geopolítico se forma para o fim dos tempos, também o clima espiritual se forma no Estado Judeu. O Judaísmo Messiânico foi a primeira expressão da fé cristã em Israel antes que o Reino fosse aberto aos gentios. Com mais liberdade e com o crescente reconhecimento da população, o Judaísmo Messiânico pode pregar o Messias crucificado aos judeus de forma mais abrangente. É uma pequena nuvem, do tamanho da mão de um homem ainda, mas que com intercessão profética e o testemunho dos santos, levará Israel a conhecer seu Senhor novamente.



A relação entre a Igreja gentílica e os judeus é marcada pela hostilidade e perseguições de ambas as partes. Somente o sangue de Cristo pode curar estas feridas milenares. O avivamento em Israel descrito nas Escrituras, no final dos tempos, será fruto de uma ação soberana de Deus na Terra Santa. A Igreja gentílica que perseguiu e matou os judeus – com seus missionários estrangeiros, "incircuncisos" e "comedores de bacon" – não terá qualquer participação neste processo. Os judeus serão atraídos a Yeshua da mesma forma que foram no princípio: pelo testemunho e o poder de outros judeus que abraçaram o Messias. E à medida que Israel perde seu apadrinhamento político e a pressão aumenta na nação, menos os judeus poderão depender de seus recursos naturais, e cada vez mais terão que se voltar novamente ao Senhor para sua salvação. E assim se cumprirão as palavras do profeta Zacarias:



Mas sobre a casa de Davi, e sobre os habitantes de Jerusalém, derramarei o espírito de graça e de súplicas; e olharão para aquele a quem traspassaram, e o prantearão como quem pranteia por seu filho único; e chorarão amargamente por ele, como se chora pelo primogênito. Naquele dia será grande o pranto em Jerusalém, como o pranto de Hadade-Rimom no vale de Megidom. E a terra pranteará, cada família à parte: a família da casa de Davi à parte, e suas mulheres à parte; e a família da casa de Natã à parte, e suas mulheres à parte; a família da casa de Levi à parte, e suas mulheres à parte; a família de Simei à parte, e suas mulheres à parte; todas as mais famílias, cada família à parte, e suas mulheres à parte. (Zacarias 12:10-14)



Fonte: Café Torah

Nenhum comentário:

Postar um comentário